A espiritualidade da reforma romanizante no contexto da imigração italiana no Rio Grande do Sul

Frei Bruno de Gillonnay. Junto com frei
León de Montsapey chegou ao Porto de
Rio Grande no dia 1º de janeiro de 1896 e,
em meados do mesmo mês, depois de visitar
Bento Gonçalves e Veranópolis,
estabeleceram-se na vila de Garibaldi.
         

RESUMO: O artigo analisa duas obras de espiritualidade direcionadas ao público católico no contexto da imigração italiana no Rio Grande do Sul: o Guida spirituale per l’emigrato italiano nella America do padre scalabriniano Pedro Colbachini e O Coração de Jesus do capuchinho francês frei Bruno de Gillonnay. O objetivo é perceber o modo como os dois textos publicados no momento da reforma romanizante da Igreja Católica Romana no Brasil foram instrumentos para adequar o modo de pensar a relação com Deus dos imigrantes ao preconizado pela igreja. Conclui-se que, mesmo por caminhos diferentes – a obra do Pe. Colbachini centrando a atenção no aspecto religioso exterior e a de Frei Bruno na experiência interior de Deus – elas ajudaram a consolidar o processo de manutenção da fidelidade dos imigrantes italianos à nova religiosidade oficial.

PALAVRAS-CHAVE: catolicismo; espiritualidade; imigração italiana; romanização.
 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s