Bóson de Higgs

Para os poucos visitantes que me dão a honra de, de vez em quando, passar por aqui e, nos últimos dias, constataram a minha ausência temporária, meu pedido de desculpas com a informação da razão de minha ausência. O que aconteceu é que, há mais ou menos uma semana, passeando pela beira do Guaíba, perto da Usina do Gasômetro, me encontrei com o Sr. Bóson de Higgs. Todos já devem ter ouvido falar dele, com certeza. Também é conhecido por Partícula de Deus. É o cara mais procurado do mundo. Construíram dois grandes laboratórios chamados de “Colisor de Adrons” para tentar achá-lo. Um construído por um consórcio europeu, entre a Suíça e a França. O outro, nos Estados Unidos, com mão de obra mexicana, técnicos indianos e paquistaneses e dinheiro chinês. Enfim, todo mundo tá atras d’Ele.
Pois o Sr. Bóson de Higgs me disse, num português fluente (afinal, se ele é Partícula de Deus e Deus é brasileiro, nada mais normal que fale português) que estava cansado do Big Brother High Tech que montaram para observá-lo e se mandou pro lado debaixo do Equador onde, apesar do país tropical, faz muito frio e a elegância manda que, mesmo num julho de 30 graus, vista-se sobretudo, manta, boné, luva e bota e assim, disfarçado de “portoalegrense mediano”, pudesse ter uma vida normal.
Minha tentação foi perguntar ao Sr. Bóson porque o procuravam tanto se a Partícula de Deus que dizem que ele é pode ser encontrada todos os domingos na Missa que o Padre reza na Igreja das Dores, logo ali na Rua da Praia… Num insante me dei conta de que a herética pergunta poderia ser tomada por ofensiva e me calei. Afinal, um bom portoalegrense deve receber bem os ilustres turistas – estamos treinando para a Copa! – e não fazer perguntas indiscretas.
Enquanto olhava para o lado da Ilha Grande , a dos Marinheiros, para ver como estava o céu e a possibilidade de oferecer ao Sr. Bóson o mais lindo Por de Sol do mundo, nesse meu instante de distração, o ilustre visitando, sem que eu percebesse, tomou emprestado um skate de uma criança e, rapidamente, afastou-se em direção ao Anfiteatro Por-do-sol. Perdi-o de vista e, a partir daquele dia, todas as tardes voltei ao Gasômetro para ver se encontrava o Sr. Bóson. Daí meu pouco tempo para alimentar esta página.
Mas, hoje de manhã, ao lêr a Zero Hora, minha busca foi recompensada. Numa reportagem sobre o México que, com a vitória eleitoral do PRI à Presidência voltou a ter a Democracia Perfeita onde não há necessidade de eleições mas já se sabe de antecedência quem vai ganhar, um grupo de atores amadores leva alegria e diversão aos bairros periféricos da capital com encenações gratuitas de luta livre. Entre os atores, uma figura que reconheci imediatamente: o Sr. Bóson de Higgs. Mesmo que a máscara de lutador não deixasse ver seu rosto, não tive dúvias: lá estava ele, anônimo em meio à multidão que o aplaudia! Deve estar muito feliz…
P.S.: Escrevo este post às 8h30min da manhã. Não tomei nem fumei nada. Ontem foi meu último dia de aula do semestre!…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s