Entre tinieblas

O filme é antigo. Em português ganhou o título de “Maus hábitos”. Foi o primeiro rodado por Pedro Almodóvar em um estúdio e com uma equipe profissional. Era o ano de 1983. A Espanha ainda vivia a transição do franquismo para o regime democrático. A liberdade de expressão era uma novidade e o genial cineasta surge em meio à movida madrileña atacando um dos pilares da ditadura que governara o país ibérico desde a década de 1930 através do terror e da formação das consciências dentro de uma rígida moral católica tradicionalista.
O argumento do filme, no original intitulado “Entre tinieblas”, é simples: uma cantora de cabaré, Yolanda Bel, leva uma vida desregrada, regada a drogas e sexo, até o dia em que presencia a morte de seu namorado por overdose. Para fugir da polícia que a busca por tráfico, Yolanda se refugia num mosteiro de religiosas. Para estranheza da fugitiva, todas as irmãs do convento haviam sido prostitutas, cafetinas, viciadas, criminosas ou duas ou mais destas coisas ao mesmo tempo…
A Congregação da qual o convento faz parte é a das “Redentoras Humilhadas”. Para indicar a missão, todas elas abandonam seus antigos nomes e adotam nomes que indicam sua condição pecadora. Seu objetivo é resgatar jovens mulheres que vivem no pecado. Aos poucos, e para surpresa sua, Yolanda descobre que as irmãs, no afã de extirpar os vícios das jovens mulheres da sociedade madrilena, elas mesmas continuavam vítimas dos vícios que condenavam nas outras. A tensão gerada pelo afã da dura missão fazia com que, cada uma delas encontrasse nos vícios que pretendia combater uma válvula de escape para tornar a vida na clausura mais suportável.
Assim, a Madre Superiora, que se dedica a acolher as jovens que, como Yolanda, eram presas pela prostituição, ela mesma acabava criando jogos de sedução e prazer sexual com as novatas que chegam ao convento. Irmã Perdida, por sua vez, que tem como preocupação acolher as dependentes de drogas, faz do consumo do LSD um caminho para supostas para experiências espirituais que, na verdade, são experiências químicas. Irmã Ratazana de Esgoto e Irmã Víbora, recuperadoras de mulheres que vivem a frívola vida da ascendente burguesia espanhola impulsionada pela retomada econômica da Europa, têm como passatempo, a primeira, escrever, sob pseudônimo, livros sensacionalistas e, a segunda, criar roupas vanguardistas para os santos da capela do convento.
O roteiro do filme avança com a complexidade das tramas típicas de Pedro Almodóvar que levariam a clássicos como “Carne Trêmula” (1997), “Tudo Sobre Minha Mãe” (1999), “Fale com Ela” (2002), “Má Educação” (2004) e o insuperável “Volver” (2006). Ah! E não podia de deixar de mencionar “A Pele que Habito” (2011).
Mas voltemos a “Entre Tinieblas/Maus Hábitos”. Lembrei deste filme ontem, quando vi, estupefato, na televisão, a imagem das três equipes da Força Tarefa da Lava Jato reunidas no Rio de Janeiro para preparar o Combate Final (sic!) contra a corrupção no Brasil. Combate que, segundo o porta voz das equipes, o impagável Profeta-do-Apocalipse-do-Power-Point-das-Bolinhas-Azuis, terá que ser assestado antes das eleições de 2018. A televisão, numa mise em scène típica de um filme de segunda categoria, ia focando um a um os personagens da insólita reunião. A medida que os rostos iam aparecendo em close up, não tive como não lembrar da Madre Superiora, da Irmã Perdida, da Irmã Ratazana de Esgoto e da Irmã Víbora e sua tentativa de livrar o mundo dos vícios.

E, como a fugitiva Yolanda, me perguntei: será que, para acabar com a corrupção, teremos que nos tornar tão corruptos quanto aqueles que queremos combater? Só a genialidade de uma trama de Almodóvar para nos conduzir na busca de uma saída para o labirinto de trevas em que nossos maus hábitos nos colocaram.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s